fbpx
TOPO
Image Alt

Summer Travel

Patagônia Argentina no Inverno- Porque ir?

Vamos começar esse relato sendo bastante diretos: a Patagônia Argentina é um destino a ser visitado pelo menos uma vez na vida, independentemente da quantidade de lugares que você já conhece. E se você quiser entender porque, e se convencer disso vou te dar vários motivos.

 

O primeiro de todos é a localização. Situada no extremo sul de nosso continente, as duas principais cidades base são Ushuaia e El Calafate. Apesar da distância (cerca de 3.000 km de Buenos Aires), atualmente há uma facilidade muito grande de chegar por via aérea. Há voos da Aerolineas Argentinas que saem de Curitiba, São Paulo ou Porto Alegre, por exemplo, que fazem uma breve conexão no Aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, e seguem para Ushuaia. Ou seja, saindo cedinho de sua cidade de origem, no meio da tarde você estará pousando em Ushuaia e já na chegada contemplará dos dois lados do avião uma paisagem exuberante das montanhas e do Canal de Beagle.

 

O segundo motivo é a língua, que permite uma facilidade de comunicação e interação muito grande. Nosso “portunhol” é amplamente aceito em hotéis, restaurantes, lojas e durante os passeios.

 

Em terceiro lugar, a moeda. Nunca o real e o dólar estiveram tão valorizados em relação ao Peso Argentino, o que faz nossas despesas de alimentação, passeios e compras valerem muito a pena. Refeições completas, com entrada, prato principal e sobremesa, além de um ótimo vinho argentino que aqui no Brasil tem preços proibitivos, saem em média por R$ 150,00 (inclusive a  experiência de degustação da “centolla”, o gigante caranguejo das águas  geladas).

 

E tudo isso fica praticamente irrelevante frente ao principal dos motivos para conhecer a Patagônia: a natureza. Ushuaia e El Calafate oferecem uma diversidade de passeios durante todo o ano, a maioria deles disponíveis em todas as estações, e outros apenas no inverno (que vai de maio a setembro) ou no verão ( novembro a março).

 

No inverno, a Patagônia é uma imensidão branca. Para onde se olhe, não se cansa de olhar. Montanhas, lagos, rios, as casas dependuradas nas encostas, a baía, criam cenários que mais parecem pinturas que mudam conforme a luz do dia. Prepare a máquina fotográfica com memória extra para armazenar todos os registros.

 

Porém, há um ponto muito importante na preparação dessa viagem: nossas roupas de frio (mesmo para aqueles que vivem na região Sul do Brasil), não são suficientes para nos proteger no inverno da Patagônia. Vá preparado para enfrentar temperaturas que não fazem parte de nossa rotina, pois é  fundamental ter roupas adequadas como segunda pele, luva e calçados impermeáveis e jaquetas apropriadas para temperaturas negativas e neve. Mesmo se coincidir de não nevar durante sua estadia, os passeios todos são em áreas cobertas de (muita) neve.

 

Vamos conhece rum pouco mais de cada uma dessas cidades:

 

USHUAIA

Introdução

Ushuaia é uma das principais cidades da Província da Tierra del Fuego, e a cidade mais Austral (ou ao Sul) do mundo, cercada de montanhas da pré-cordilheira dos Andes (que em seu extremo sul segue na direção Oeste-Leste) e o Estreito de Beagle. Essa localização geográfica faz com que a cidade seja muito fria durante o ano todo, com temperatura média negativa no inverno, e no verão fica em torno de 5 graus em média.

 

Cidade pequena, povo acolhedor, resume-se basicamente em duas ruas principais (San Martin e Maipú), onde concentram-se os restaurantes, lojas, cafés e pequenos museus dedicados à história da região, como o Museu do Presídio e o Museu da História Fueguina.

 

São por essas duas ruas e suas transversais que se caminha ao final do dia após os passeios para compra de souvenirs ou tomar um chocolate quente para aquecer a alma.

 

Alimentação

A diversidade – e qualidade – de restaurantes é ampla também. Nas 4 noites que é o mínimo ideal para conhecer as principais atrações, você pode escolher entre o Cordeiro Fueguino e a Centolla (os dois pratos típicos da Patagônia), ou a Parrilla Argentina e a “milanesa”, famosos também em toda a Argentina. Há ainda opções de cozinha internacional, com frutos do mar e massas, e os bares locais, sempre muito disputados no final da tarde e com ótimas opções de petiscos e cervejas artesanais.

E para aquele lanche rápido (pero no mucho), a cidade é repleta de chocolaterias e cafés com ótimas opções de doces, sorvetes e chocolates artesanais.

 

Principais Passeios no Inverno

 

  • Parque Nacional Tierra Del Fuego (ano todo)

O passeio ao Parque Nacional Tierra del Fuego é uma boa introdução sobre a região e suas belezas naturais. Há um passeio de trem que inicia no Centro de Visitantes e percorre 7 quilômetros pelo interior do parque. Sabe aquele passeio que muitas vezes pensamos ser uma “armadilha de turista” e ficamos em dúvida se fazemos ou não? Pois faça, que vale muito a pena percorrer esse trajeto curtindo a paisagem e aprendendo sobre a história do Presídio que outrora funcionava na região para abrigar os principais criminosos da Argentina. O parque ainda possui lagos maravilhosos cercados de montanhas nevadas e ao final do passeio chega-se à Bahia Lapataia, onde termina a Rota nº 3 que percorre a Argentina de Norte a Sul. Esse é um passeio de meio dia, e fazendo pela manhã, dá para almoçar na cidade e aproveitar a tarde para passear pelas ruas ou ainda fazer o passeio pelo Canal Beagle.

 

  • Passeio de Barco pelo Canal de Beagle (ano todo)

Diferentemente das escunas piratas que estamos acostumados a ver pelas praias brasileiras, os barcos que fazem o passeio de aproximadamente 3 horas pelo canal Beagle são na verdade catamarãs super confortáveis, incluindo serviço de bar e lanches. Nada melhor do que apreciar um bom vinho nacional com o visual da cidade se distanciando, das ilhas repletas de vida marinha (atenção, no inverno os pinguins não estão por lá) e o farol Les Eclaireurs, o mais austral (ou ao sul, lembra-se) do mundo. Há ainda uma parada para descer do barco e caminhar por uma das ilhas. Durante todo o trajeto, os guias não dão informações importantes sobre o passeio, e há ainda a possibilidade de passear pelo deck externo do catamarã durante a navegação.

 

  • Expedição 4 x 4 pelos Lagos Escondido e Fagnano, com churrasco na floresta (ano todo)

Esse é um dos pontos altos dos passeios em Ushuaia. Em um veículo apropriado, parte-se em direção às montanhas para encontrar outras belezas naturais, como os grandes lagos da região. Saindo da estrada principal, a expedição continua em meio a florestas que contrastam com o branco da estrada coberta de neve, e passando ainda por áreas devastadas por colônias de castores até o Lago Fagnano.

 

Chegando ao lago Fagnano, e após uma breve caminhada por sua margem, chega-se a uma cabana em meio à floresta e um rio formado pelo degelo da neve das montanhas. Lá, já está tudo preparado para uma farta refeição regada a queijos, embutidos e vinhos, uma fogueira e carne já nas churrasqueiras, para uma deliciosa experiência que poucos tiveram (e terão) a oportunidade de realizar. Sem pressa, é uma experiência para curtir o local e o ambiente, para então regressar a Ushuaia.

 

  • Centro Invernal (somente inverno)

Ushuaia é cercada de “centros invernais”, que são áreas privadas que oferecem várias experiências na neve, dentre elas a caminhada com raquetes, em um percurso de aproximadamente 1,5 km sobre áreas cobertas de neve (em alguns lugares com neve acima de 1,5 metros do nível normal) e por entre florestas, o passeio de snowmobile e o passeio de trenó puxado por cachorros. No intervalo de um passeio e outro, você pode descer pequenos morros de neve em pranchas, e degustar outro almoço regado a vinho e empanadas.

 

  • Estação de Esqui (somente inverno)

Para aqueles que sabem e gostam de esquiar na neve, o Cerro Castor é o principal centro de esqui da Argentina, com 31 pistas para todos os níveis de esportistas. Fica localizado a cerca de 16 km da cidade, e há pacotes completos disponíveis com ingresso, aluguel de equipamento e aulas para os iniciantes.

 

EL CALAFATE

Introdução

El Calafate, fica localizada a cerca de 1:30 hs de voo de Ushuaia, às margens do Lago Argentino, o maior lago patagônico e onde desaguam as principais geleiras da região, como o Glaciar Perito Moreno e o Glaciar Upsala, entre outros. O Parque Nacional Los Glaciares cobre grande parte do Lago.

Diferentemente de Ushuaia, que tem um ambiente de cidade portuária, El Calafate é um charme só, podendo ser comparada a uma mini Gramado ou uma mini Campos do Jordão, mas sem a ostentação das grandes construções dessas duas cidades. Em uma única rua, a Av. Del Libertador, concentram-se restaurantes, lojas de souvenir, feirinhas de artesanato, cafés, supermercados e aluguel de bicicletas.

 

São cerca de 800 metros para serem curtidos várias vezes durante a estadia, pois sempre encontrará alguma novidade.

 

Há também a opção de uma caminhada ou passeio de bike pelo “braço” do Lago Argentino que margeia à cidade. Lá foi construído um “paseo” onde os moradores se encontram no final da tarde para correr, caminhar ou simplesmente bater papo e tomar mate (o chimarrão argentino). É possível ainda observar várias espécies de aves, como os lindos flamingos rosas, as Avutardas e eventualmente alguma espécie de gavião à espreita de suas presas.

 

Alimentação

El Calafate, assim como Ushuaia, oferece uma variedade de opções de restaurantes das mais diversas cozinhas. O Cordeiro Patagônico (similar ao cordeiro fueguino de Ushuaia) é o carro chefe, mas há muitas alternativas de massas, sanduiches, parrilla e bares com ótimas cartas (e preços) de vinhos e cervejas artesanais.

 

Principais Passeios no Inverno

  • Mini Trekking no Glaciar Peito Moreno

Se prepare para uma das maiores experiências de sua vida. Saindo de El Calafate por volta das 7:00 hs, segue-se em direção ao Parque Nacional Los Glaciares, distante 80 km da cidade e já no trajeto o visual é de tirar o fôlego. Chegando ao parque, embarca-se  em um catamarã que leva à uma estação onde iniciam-se os preparativos para a caminhada sobre o Glaciar. Nessa estação, no retorno da caminhada, é onde  acontece  o almoço  (cada um leva seu “lunch box”), com o visual do glaciar à frente. Só essa breve navegação já valeria todo o passeio, mas o momento mágico ainda nem começou. Após a colocação do “grampão” e capacetes, inicia-se a caminhada de cerca de 1:30 HS sobre o glaciar, durante o qual nos deparamos com formações de gelo que parecem esculturas de arte, tonalidades de azul as mais variadas decorrentes do reflexo da luz solar e os estrondos de pedaços de gelo se desprendendo do glaciar.

 

Ao final, para fechar com chave de ouro, degusta-se um whisky “on the rocks”, com gelo do próprio glaciar.

 

Tenha a certeza de que após essa experiência, você ingressará em um seleto grupo de viajantes…!!!

 

No retorno do trekking, o tour leva até as passarelas do Perito Moreno, onde é possível admirar essa maravilha da natureza de outros ângulos e, se tiver sorte, presenciar o desprendimento de grandes blocos de gelo (não por questões de aquecimento global, mas pela própria característica geológica do glaciar, que encontra-se em plena expansão).

 

  • Navegação Glaciares Gourmet

Outro passeio de dia inteiro que sai bem cedo de El Calafate, leva os viajantes a outra experiência única: uma navegação em um luxuoso catamarã, com almoço incluído, pelo Lago Argentino. Durante o passeio, que tem informação dos guias em espanhol e inglês durante todo o trajeto, é possível admirar os paredões que chegam a 80 metros de altura, diversos glaciares das mais variadas formas e tamanho e icebergs gigantes vagando pelo lago, fruto de grandes desprendimentos de blocos de gelo desses glaciares. Quem um dia imaginou de deparar com esse tipo de formação em um lago, tão pertinho de nosso Brasil?

 

Durante o passeio é ainda realizado um desembarque para caminhada em uma das margens do Lago, para entender um pouco da colonização que tentou ser realizada no início do século passado, mas que não deu certo devido às inóspitas condições climáticas da região.

 

O final da navegação é novamente no Glaciar Perito Moreno, porém na face contrária àquela que visita-se no passeio do Mini Trekking, ou seja, é uma beleza diferente da mesma atração.

 

Então, está convencido de que visitar a Patagônia Argentina deve estar no topo de sua lista de viagens?

 

A Summer esteve por lá em Agosto/2019, e tem todas as melhores dicas de passeios, hotéis, restaurantes e programas para você curtir ao máximo esse destino espetacular.

 

Entre em contato conosco e te ajudaremos a tornar esse sonho, realidade.

Postar um Comentário

You don't have permission to register
× Como posso te ajudar?